Estou grávida!

Em Agosto desse ano eu descobri que estava grávida e primeiramente me veio um choque já que eu não estava tentando e tinha absoluta certeza de que não iria acontecer tão cedo, já que eu tenho ovários policísticos e lúpus estágio IV. 

A suspeita de gravidez veio com os enjoos diários, mas não era a principal suspeita. O que mais me temia era que os rins haviam parado mais uma vez, que tudo iria se repetir. Eu estava com alta proteinúria e muito enjoo, mesmos sintomas que eu havia sentido um ano antes quando fui internada. 

Aconteceu. Estou grávida, grivadíssima como me informou o médico de plantão do hospital, fui pra casa e não deu nem um dia para que toda a família ficasse sabendo. Era sim uma notícia boa, uma coisa feliz acontecendo, mas era preocupante. E a saúde? E os remédios? E o tratamento? E o trabalho? Eram questionamentos preocupantes em cima de mim, com toda razão, pois um ano antes eu estava internada, em hemodiálise em fazendo sessões de quimioterapia mensalmente.  

No dia seguinte a descoberta eu fui no meu reumatologista e peguei um pedido de ecografia, marquei um encaixe e fui ver o bebê que crescia em mim. Na sala de espera do consultório eu já estava assustada pois o exame de beta havia dado altíssimo, cerca de uns 42 mil. E de acordo com o google só poderia significar duas coisas: gêmeos ou mais de três meses. Essas foram as pesquisas da minha mãe no Google que me deixaram extremamente assustada, pois eu não esperava um quanto mais dois, ou então imagina só saber que eu estava praticamente na metade da gestação. 

Foi então quando eu fiz a ecografia que meu coração se emocionou, e meu marido também. Percebi até que haviam lágrimas em seus olhos, estávamos vendo um pequeno amendoim, minúsculo demais pra parecer uma pessosinha. Nessa primeira ecografia já pude ouvir seus batimentos 98 por minuto, coisa mais linda florescendo ali em mim, que loucura. Estava apenas com um mês e meio, 6 semanas.

Após o choque e a emoção inicial  era hora de começar o pré-natal, consultas com o obstetra o nefrologista e o reumatologista. Primeiramente fui ao obstetra que havia feito o parto do meu sobrinho, Dr Edilson Barbosa, que com toda sua sinceridade me conquistou. Ele falou logo a real, que era uma gravidez de alto risco e sim como todas até o terceiro mês havia um risco de perda. Me explicou que por ter lúpus o parto provavelmente seria cesárea, que eu precisaria ficar na UTI mas que tudo daria certo no final. 

Com o nefrologista já não foi tão bom assim, ele me deu uma bronca por ter engravidado e fez cara feia ao receber a notícia, logo não tive nem uma terceira consulta e troquei pelo Dr Inda, o médico que me auxilia bastante. E com o reumatologista foi tudo muito bem, era pra eu continuar tomando todos os remédios, apesar do risco que eles poderiam trazer para o bebê o beneficio era ainda maior. Continuei o tratamento e fazendo os exames, tudo bem bonitinho e certinho.

Esse foi o inicio de tudo, semana que vem venho com mais notícias, mais um post sobre gravidez. 
Não deixe de comentar aqui se você já passou por uma gravidez de alto risco, muito importante compartilhar!! 

Comentários