60 lições que aprendi com Selma e Sinatra de Martha Medeiros

Olá gracinhas, hoje eu venho com um post que estava querendo fazer há algum tempo. Em meados de Agosto uma amiga querida postou em seu blog Her lovely heart 67 lições que ela aprendeu com o livro Girl Boss e eu achei extremamente legal, quem quiser dar uma olhada só clicar aqui, vocês vão se apaixonar assim como eu.




Enquanto eu estava relendo Selma e Sinatra de Martha Medeiros eu resolvi trazer aqui pro blog o mesmo estilo que a Sara fez com 60 lições que aprendi enquanto lia o livro. Esse livro é mega importante pra mim, pois eu amo tudo que a Martha e escreve e dessa vez ela tocou em um ponto bem vulnerável em mim mesma: quem eu sou.

O livro é sobre uma jornalista que vai fazer uma biografia de uma cantora super famosa, Selma Santos, é uma estréia para ambas. Os encontros ocorrem duas vezes por semana mais ou menos no quarto da cantora, uma mulher de 41 anos com livros fracassados publicados e romances mal resolvidos com homens casados confronta uma idosa que insiste em dizer que levou uma vida extremamente feliz.

Inicialmente Selma fica descrevendo como sua vida foi maravilhosa, tudo feliz, tudo perfeito, deixando a escritora frustrada, mas logo as cartas são colocadas na mesa, Selma pode não ser quem diz ser e Guta assume verdades íntimas naquele quarto. O diálogo delas constrói uma relação que acarreta mudança nas duas mulheres e na mulher que lê.

1. Sempre teremos defeitos, ângulos ruins, precisamos aceitar e lidar com isso.

2. Sempre haverá coisas novas a se descobrir sobre nós mesmos.

3. Uma simples roupa pode mudar nosso humor, nos dar confiança e segurança em nós mesmos.

4. Uma boa aparência é bem importante para nós.

5. Todo mundo tem sempre o primeiro dia do resto de sua vida.

6. Expectativas são sempre angustiantes.

7. A arte de uma pessoa não revela a pessoa propriamente dita. Será?

8. A primeira impressão é a mais importante, não necessariamente a que fica.

9. Gentileza gera gentileza.

10. O que mais interessa aos outros é o que a gente menos quer revelar.

11. A vida de qualquer pessoa é interessante. Não há quem não tenha um segredo guardado, não há quem não viva em contradição. Todo mundo esconde ao menos uma pequena mágoa. Ou uma grande mágoa. Uma sensação de ter sido injustiçada. Talvez uma paixão vivida em disfarce.

12. Não é fácil viver sobre uma nova identidade, parece que estamos legitimando um impostor. Uma criatura inventada no momento em que eu disse sim na frente do padre.

13. Chega uma hora em que não queremos conjecturar sobre hipótese.

14. A gente sempre vai sentir saudade do que já foi vivido.

15. Quando fizermos algo temos que fazer por nós mesmos e para nós.

16. A gente nunca agrada todo mundo.

17. Não devemos nos contentar com mais ou menos.

18. Fracasso, desilusões, confusões de sentimento, conflitos internos, problemas e obstáculos é o que dá graça a nossa existência miserável.

19. Elegância está mais na atitude e menos na vestimenta.

20. Ninguém tem uma vida perfeita.

21. Ninguém chora a dor dos outros, isso é pretexto. O sofrimento alheio provoca lembranças da nossa própria miséria.

22. A gente perde a si mesmo, perde amores, perde sonhos.

23. Nada se interrompe enquanto estivermos respirando.

24. Todo mundo tem conflitos, conflitos imensos.

25. Todo mundo tem o direito de cometer ao menos uma loucura na vida.

26. Não é possível viver sem mágica, sem êxtase, sem extrair alguma faísca dos acontecimentos mais triviais.

27. Uma mulher só é velha quando morre.

28. Em algum momento precisamos fazer loucuras.

29. Todos nós temos momentos de questionamento e nos deprimimos a qualquer instante.

30. Ninguém chora com hora marcada e muito menos reconhece os motivos.




31. A gente chora a qualquer momento basta não ter ninguém olhando.

32. A convivência humana é um teatro sem fim.

33. Nunca é fácil verbalizar o que sentimos.

34. As vezes devemos parar de tentar nos compreender, feito uma página escrita, devemos apenas ser.

35. Quem procura palavras pra se identificar está buscando autenticar uma farsa.

36. Quanta responsabilidade, identificar-se!

37. É uma idiotice delimitar-se através de preferências e opiniões.

38. Quanto mais tentar ser sedutora mais patética parecerá.

39. Que irritante são essas mulheres invulgares.

40. Ninguém sabe tudo sobre si.

41. A gente sempre precisa escapulir do casulo em que vivemos.

42. Nenhuma altivez é 100% confiável.

43. As versões que apresentamos de nós mesmos são verdades escolhidas, pinçadas de dentro de um emaranhado de opções.

44. Infelicidade é ficar de braços cruzados esperando a vida fazer de nós o que bem entender.

45. Todo mundo sofre, todo mundo tem dúvida sobre suas escolhas, todo mundo se arrepende, volta atrás, se perde, recomeça.

46. A infância é a origem de todas as nossas neuroses.

47. Estamos sempre falando de nós mesmos.

48. Pensar é a parte mais fácil do plano.

49. Ser feliz é uma arte, é uma manifestação abstrata, lúdica, criativa, mas inventada, cada um assina sua própria obro.

50. A gente nunca sabe nada sobre ninguém, só sabemos o que os outros permitem que a gente saiba.

51. Essa insistência que há hoje em dia em se expor, de revelar intimidades é pânico. É medo de ficar só.

52. As pessoas contam todos os seus segredos, todos os seus sentimentos em troca de uma migalha de atenção.

53. Só a absoluta solidão é verdadeira.

54. A gente costuma viver inventando um personagem.

55. A gente perde muito, não só o tempo, ao reinventar a nós mesmos para nos encaixar no padrão.

56. Um bom número de feridas nos garante inúmeros momentos de alegria.

57. Tão preocupada em ser feliz esqueceu de ser alegre.

58. Que bom ser esse traste que sou, uma fulana desobrigada de postura.

59. A vida que nos interessa é a nossa.

60. Temos a necessidade de manter uma imagem, mesmo isso sendo desnecessário.

Espero que gostem do livro e das lições!! Muito amor por esse livro <3


Nenhum comentário:

Postar um comentário

© Nome do seu Blog - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo